Setembro_2_post

 

Este tema é muito importante e deve sempre ser lembrado, pois para o sucesso do tratamento os cuidados em casa e no trabalho são fundamentais. Um dos principais desencadeadores de crises é o ácaro, presente em locais com muito pó, que pode existir tanto em casa quanto no trabalho. Portanto, deve-se ter cuidado com locais que possam acumular poeira, como armários, estantes, livros, papéis além de tapetes, cortinas e bichos de pelúcia que podem acumular poeira e ser desencadeantes de crises. Porém, na hora da limpeza, algumas medidas especiais são interessantes:

 

  • Não é recomendado usar vassoura mas sim aspirador e pano e evitar usar produtos de limpeza que tenham cheiros fortes, pois eles podem precipitar uma crise;

 

  • No trabalho, tenha atenção com locais de uso comum, onde há grande concentração de pessoas, pois se elas estiverem com quadros gripais, existe uma possibilidade maior de contrair o vírus da gripe, sendo este um fator desencadeante de crise muito frequente, principalmente nesta época do ano;

 

  • Outro cuidado que devemos ter é com as roupas, principalmente se ficaram muito tempo guardadas acumulando pó;

 

  • Em casa, outro fator precipitante de crises, muitas vezes esquecido, é o mofo em paredes e tetos, que também podem aparecer em armários e, muito frequentemente, nos banheiros, devido à umidade no local. Este mofo tem que ser retirado e o local deve ser pintado novamente. Mas lembre-se que a tinta também pode provocar uma crise, por isso cuidado na hora de voltar para casa. Aguarde a diminuição do odor, após a ventilação dos ambientes. É recomendado manter as janelas abertas e a casa bem ventilada;

 

  • Evite o uso de ar condicionado muito gelado e sempre verificar se o filtro do aparelho está limpo, tanto em casa quanto no trabalho.

 

Sabemos que não é fácil seguir todas as recomendações à risca, entretanto, para um tratamento mais eficaz, algumas mudanças nos hábitos de vida são necessárias.

 

 

Referências:

 

GINA- Global Initiative for Asthma. Updated 2014

(Acessado em 07/08/14)

http://www.ginasthma.org/local/uploads/files/GINA_Report_2014_Jun11.pdf

 

Diretrizes da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia para o Manejo da Asma –  J. Bras. Pneumol. 2012; 38 (Supl. 1 S1-S46)